Astrology

A tradição da Árvore de Natal

"Fazer a árvore de Natal" é, para a maioria das famílias, o ritual que marca o início da época natalícia. A casa fica com uma energia diferente, os brilhos das luzinhas, as fitas douradas e os enfeites criam uma atmosfera mais acolhedora, festiva e familiar, que nos deixa de coração mais cheio. Mas, se o Natal cristão celebra o nascimento do Menino Jesus, de onde vem a tradição da árvore de Natal? Qual é o seu significado?

Há muito, muito tempo atrás, nos primeiros séculos da nossa História, os homens adoravam a Natureza e os deuses que a personificavam. Assim, já os Romanos celebravam em Dezembro o nascimento - não do Menino Jesus, mas do Deus Sol, que nascia com o Solstício de Inverno (a 21 de Dezembro) e crescia à medida que os dias se tornavam maiores. Esta festa era celebrada em honra de Saturno, o deus das colheitas, e por essa razão chamava-se "a Saturnália" (ou "as Saturninas"), e eram decoradas árvores com enfeites luminosos e máscaras que aludiam ao nascimento do deus.

A tradição de enfeitar árvores para celebrar o nascimento do "deus da Luz" remonta a esse tempo, pois as árvores eram consideradas a ligação entre a Terra e o Céu, simbolizando a fertilidade e a continuidade da vida.

Os Celtas decoravam carvalhos, árvores sagradas, com maçãs pintadas de dourado. Os Romanos usavam máscaras redondas e outras decorações que refletiam a luz, pondo-se no cimo da árvore uma estrela, a qual simbolizava o deus Sol. Por ser um costume pagão, foi no Norte da Europa que ele ganhou maior expressão e que se foi perpetuando ao longo dos séculos, pois a religião católica tardou mais tempo a impor-se nesses países.

O primeiro registo da "Árvore de Natal" como hoje a conhecemos remonta à Alemanha do século XVI, sendo já usado o pinheiro, adotado provavelmente pela alusão à Santíssima Trindade, devido à sua forma triangular. O calendário cristão procurou suplantar as festividades pagãs com datas e tradições que a elas se assemelhassem, para que as pessoas seguissem a religião católica, sem perderem as celebrações que antes faziam. 

Contam as lendas mais antigas, também, que no dia do nascimento de Jesus muitas árvores floresceram. Assim, os cristãos passaram a assinalar esta data com a decoração de pinheiros, porque o pinheiro preserva o verde dos seus ramos mesmo no tempo mais frio e até com neve, e como tal representa a promessa da vida que se perpetua. As bolas coloridas que usamos para decorar a árvore simbolizam os "frutos" da vida trazida por Jesus.

Conta-se que, no século XVI, o sacerdote Martinho Lutero adornou uma árvore com luzes no dia de Natal, como forma de honrar o nascimento de Jesus, que veio trazer Luz a todos os Homens.

Esta tradição originária chegou a Portugal no século XIX, com o casamento de D. Maria II com D. Fernando II, de ascendência germânica, que a trouxe para a Corte Portuguesa. Da Corte, este costume passou a ser adotado pela Nobreza, e da Nobreza chegou ao povo, que ainda hoje o repete. Antes disso, o Natal já era assinalado em Portugal com a tradição de "fazer o presépio".

Embora tenha origens pagãs, a Árvore de Natal celebra o nascimento da Luz e a vida, num gesto transmitido ao longo dos séculos e repetido como prova de fé em Deus, seja qual for ideia que Dele tivermos, como força maior que governa a nossa vida.

 

Saiba que...

Na tradição alemã, há 12 símbolos especiais que devem estar sempre representados nas decorações da árvore de Natal, para trazerem a felicidade a esse lar:

1 - uma casa - a proteção;

2 - uma chávena - a hospitalidade;

3 - um coelho - a fertilidade;

4 - um pássaro - a alegria;

5 - uma rosa - o afeto;

6 - uma cesta com frutas - a generosidade;

7 - um peixe - a bênção de Cristo;

8 - uma pinha - a abundância;

9 - um cesto de flores - bons desejos;

10 - Pai Natal - a bondade;

11 - um coração - o amor verdadeiro;

12 - uma estrela - a Luz e a vida (Jesus).

Preencha o formulário e receba a resposta ao seu dilema

Back
This site uses cookies to enhance your experience. By continuing to browse the site, you are agreeing to our use of cookies. You are using an outdated browser. Please upgrade your browser to improve your experience.