blog
(00351) 210 929 030

Aprender a gostar de si

Deus ama-nos tal como somos. Da mesma forma que uma mãe e um pai amam os seus filhos, independentemente dos defeitos que possam ter, aos olhos de Deus todos somos perfeitos. O nosso Pai Supremo sabe que estamos a fazer o melhor que podemos e que sabemos segundo as circunstâncias. E isso é o mais importante, é isso que nos torna dignos e merecedores de todo o amor e de toda a aceitação.

Para aprender a gostar de si, olhe para si sem se julgar, com generosidade. Esqueça os juízos de valor que lhe foram incutidos pelos seus pais ou pelas pessoas que acompanharam a sua formação como ser humano. Se lhe disseram, quando era criança, que nunca ia ser ninguém na vida, perdoe a essa pessoa, mesmo que fosse o seu pai ou a sua mãe, e compreenda que essa era apenas e só a opinião dele ou dela. Embora muitas vezes as pessoas de cuja aprovação mais precisamos sejam aquelas que mais cruelmente nos julgam, é muito importante, para podermos aprender a desenvolver o amor-próprio, tomarmos consciência que ninguém tem o poder de decidir aquilo que a nossa vida efectivamente é ou pode ser, além de nós próprios. Só você tem o poder e a legitimidade para decidir a sua vida e para ser a pessoa que é.

Aprenda a dizer «não» a tudo aquilo que NÃO lhe faz bem, e NÃO se sinta culpado por isso. Ser feliz é um direito de qualquer ser humano, e aceitar algo ou manter alguma coisa que o incomoda ou faz sofrer para agradar a outras pessoas não lhe faz bem.

Gostar de nós próprios passa também, e muito, por termos à nossa volta pessoas boas, que gostam de nós e de quem gostamos. Estar perto de pessoas confiantes e bem-dispostas tem um efeito mágico, conseguindo pôr-nos também a nós com um sorriso nos lábios. Por outro lado, ao estarmos rodeados de pessoas pessimistas, que nos sugam a energia e com quem acabamos sempre por nos sentir também deprimidos, torna-se mais difícil adoptar uma postura positiva e gostar de nós. Por mais que goste de alguém, não sofra por essa pessoa. Procure incentivá-la a ser mais confiante e feliz, mas não fique preso às suas dores, ou será o leitor a ser puxado para baixo. Ajude, ofereça apoio para que também ela seja mais feliz, mas recuse-se a alimentar o seu derrotismo. Saiba quando deve afastar-se, reconheça até onde pode ir sem ser prejudicado pela postura negativa alheia.

Lembro-me do episódio que uma pessoa certa vez me contou. Sentia-se culpado porque tinha descarregado na mulher a raiva com que tinha ido para casa, por um colega seu ter despejado nele a sua fúria, depois de o patrão o ter humilhado. A mulher dele, que ficou irritada, perdeu a paciência com o filho de 7 anos, que havia chegado da escola eufórico porque tinha tido uma boa nota. Ao ver o filho a chorar por se sentir injustiçado, este homem caiu em si e percebeu que a negatividade actua em cadeia: o patrão havia maltratado o seu colega, que descarregou nele por não poder responder ao patrão, ele por sua vez descarregou na mulher, que acabou por descarregar no filho, que apenas queria partilhar o seu êxito com os pais, mas estes estavam demasiado ocupados com o azedume desse dia e não tiveram disposição para ouvir.

Todos nós estamos interligados numa cadeia, quer tenhamos consciência disso quer não, e as acções de uma pessoa têm consequências que a própria não pode prever. Neste episódio que lhe contei, quando um dos elos da cadeia, em vez de alimentar a negatividade, escolher quebrá-la, usando o poder de um sorriso, do bom humor, da frontalidade e da verdade, o acto negativo, em vez de se multiplicar, fica isolado. Assim, quando o primeiro funcionário que foi maltratado, em vez de descarregar no colega, tivesse tido a generosidade e a frontalidade de responder calmamente ao patrão que não tinha razão para o tratar assim, mas que compreendia que ele terá tido as suas razões, ou que talvez estivesse a ter um dia mau, e reagisse com calma e um sorriso, esse ciclo interromper-se-ia. A atitude de pensar para consigo «está a ter um dia mau, aquilo que me disse não é merecido e como tal não vou dar importância» e de se libertar de imediato de qualquer sentimento de revolta ou rancor apazigua os ânimos e impede a energia negativa de se difundir.

É muito importante ter consciência deste efeito dominó, que acontece com uma frequência muito maior do que se imagina. Cada acto é isolado, mas está interligado com todos, devemos resistir à tentação fácil de descarregar numa pessoa aquilo que outra nos provocou. Para o fazer, há três passos essenciais: aceitar, perdoar e esquecer.

Dica positiva: Aprenda a ter um discurso positivo a respeito de si próprio, centrando-se nas suas qualidades e nos seus pontos positivos.

Crie o hábito de apontar, diariamente, três aspectos positivos da sua personalidade, ou de tomar nota de três coisas positivas que fez nesse dia, como, por exemplo, «Ajudei a minha colega a realizar aquela tarefa importante. Sou atencioso, generoso e bom colega», ou «Telefonei à minha sogra e ouvi-a com atenção, apesar de às vezes me irritar, fiz um esforço e consegui manter-me calmo. Sou ponderado e esforçado». Ao habituar o seu cérebro a processar informações positivas a seu respeito, aprenderá a valorizar-se, em vez de estar constantemente a autocriticar-se. Mesmo que de início lhe pareça difícil, pois estamos habituados, não a elogiar-nos, antes a recriminar-nos e a ver-nos de forma depreciativa, não desista. A sua perseverança será recompensada, e com o tempo adquirirá uma nova forma de se ver a si próprio, aprendendo a gostar de si.

Veja também:


< BACK
SHARE THIS PAGE:  

ORACLES

The Angels respond

The Angels respond

My Tarot

What's New?


Speak with me form
READINGS Book here!

Choose three cards and
click on each.

Click on each card
to know the result.

Past Present Future

    You are one step away from having your answer!

    Fill the form

    Erro

      I hereby authorize that my data be processed and used to receive information about products, campaigns, promotions, news, offers and other services. The confidentiality and integrity of your personal data is a major concern of Maria Helena Martins, that we adhere to the highest privacy standards and in accordance with your data protection rights, namely those provided for in the General Data Protection Regulations.
    We need your express consent to continue to offer you a personalized service and excellence.
    If you wish, you can consult our Privacy Policy here.

    THE POSITIVE THINKING FOR YOU ...

    This is your encouraging phrase,
    to bring you the strength and the courage
    you need right now!

    HOW WALTER OF LOVES? THROW THE DICE OF LOVE AND KNOW YOUR LUCK! CONCENTRATE IN YOUR QUESTION. WHEN YOU ARE READY...

    YOUR LUCK IS LAUNCHED ...